Oia a criatura fazendo bicão...

terça-feira, outubro 22, 2013

Mika!

"Letra de musica para a melodia de Mädchen, do Die Ärzte"


Se alguém perguntar
O que eu vou responder
No dia em que eu te vi
você me fez estremecer
Seu cabelos loiros
sua pele de marfim
Seus olhos cor de mel
Fizeram me apaixonar

Foi quando eu te vi
Um anjo lindo assim
Teu nome não vou esquecer
De noite sonho em te ter
De meu coração não sai
Mas você não quis me amar
Mas se você me procurar
Estarei aqui


A ti eu dou - meu amor
Não esqueça - de mim
Mein - Deutch
Mein Blei - Soldat

Seu rosto angelical
Eu nunca vi sorrir
Não seja assim tão mau
Mika, só quero me despedir
Você me fuzilou
No momento em que me olhou
Com seu coração de pedra
Um lindo anjo que se tornou em fera
Linda fera

Tu és Marabá

"Saudades de você
Dos teus olhos nos meus
Olhos tocantes, verdes como o mar espumante
De tão meigo brilhar
Saudade do rosto teu
Nos sonhos meus,
Nas noites de brando luar

Saudades da tua pele
Tão branca e macia
Como mil flores albinas
Na pele minha, delicada a tocar
Das tuas mãos finas
Magras e compridas
A minha mão segurar

Saudades dos teus ombros largos
Em um corpo esguio, delicado
Moço engraçado de se olhar
Tua cintura fina
Pernas como de menina
Se me escoro em teus ombros
Segura abraço tua cintura
Nunca mais vou te soltar

Mas tu me repudias
Diz que sou tua amiga
Se recusa a me amar
Dizes que és moço forte, genioso
Mas pra mim
Tu es meu Marabá"

quinta-feira, junho 20, 2013

General Inverno

Com meu calor eu já quis te aquecer
Mas meus lábios você sempre vai negar
Seu coração é geleira glacial
O meu é chama que não vai se apagar
Mas nunca vou derreter sua muralha
E em minhas noites se eu sonhar contigo
no chão, com frio e medo vou acordar

Ninguém vai acreditar
Que um dia você já foi tão belo
Quando estiver velho e seus cabelos loiros
Já não brilharem como o sol
Quem vai acreditar, quando a chuva derreter seus muros
E o tempo te tornar em restos?
Que você um dia foi tão lindo
Mas frio como um tumulo
Gelado como as noites do Ártico

Eu tentei te aquecer, te esquentar, te acender
Mas você é o General Inverno
Que matou todas as tropas dos mongóis e alemães
Sua língua corta, suas palavras perfuram
E suas mãos magras são feitas pra esmagar

Ninguém vai acreditar
Que você foi tão lindo,
Tão docemente lindo
Mas tão frio como um iceberg
Sua cama é fria como um túmulo
E seu olhar pode congelar
Sua pele é a neve
E seu coração duro nunca vai quebrar

Eu tentei te aquecer, eu tentei te esquentar
Mas você é uma fria tumba
Ninguém vai acreditar
Que um moço tão esbelto
É o General Inverno
O amor de muitas mulheres
Suas mãos vão congelar

General Inverno
Te desejo o amor mais terno
Que em sua cama fria
Vai morrer e congelar

terça-feira, junho 04, 2013

Ele é a Lua

Ele é a Lua!
Comigo eu indaguei
Quando eu percebi como brilhava
Suas faces brancas, pálidas
De feições suaves, arredondadas
Cabelos dourados como coroa eclipsal
Eu posso vê-lo
E distante, me apraz lhe admirar
Mas como a Lua
Eu não posso me aproximar.

Ele é minha Lua
Sempre quieto
Sempre no mesmo lugar
Olhos acastanhados como amêndoas
Crateras preenchidas com mel, sob o leitoso luar
E quando vejo-os brilhando como estrelas luzentes
Me pergunto se a lua também pode chorar
Eu posso falar com ele o quanto quiser
Mas assim como a Lua
Ele nunca me responderá.

E quando vier a maré alta
E meu coração procurar a lua
Ele a será, ele lá estará
Sempre no mesmo lugar
Nunca me aproximarei
E tudo que eu disser
Ele nunca responderá
Nem que eu me torne nuvem,
Nem que eu me torne em estrela
E como a bela Lua, firme, duro e frio,
Ele permanecerá

domingo, abril 07, 2013

Eu lhe dei

Um anjo
Um anjo roubou meu coração
E já não quis devolver
Jogou ele fora na floresta
Meu coração nunca mais vou ver

Eu lhe dei, eu lhe dei meu coração
Meu anjo dos olhos verdes
Você o jogou no chão
Pisou-me amargamente com seus leves pés
Bradou contra mim
Com sua voz de veludo
Celestial tom que me rejeitou

Você nunca viu
Nunca nem sonhou
Nem se passou em sua mente o quanto te amei
E por não perceber
Me pisou,
Como as flores no caminho
Você nem sequer notou
Meu amor, eu lhe dei, e por inteiro você o pisou