Oia a criatura fazendo bicão...

quarta-feira, junho 23, 2010

Sonho Bizarre

Esse é um poema, sobre um sonho que uma vez eu tive
Um amigo me contou tudo que aconteceu
A morte de Jones
Como foi ela
E quem matou
O assassino era meu proprio muso
O que então me abalou
Não conseguia ve-lo dessa forma
Minha mente então rejeitou
Mas uma noite, a não muito tempo
Eis que o sonho me pegou
Ele que tentou me silenciar
Mas peguei-o e o joguei no chão
Fragilizado pela idade
Eis que veio a maldade
Arranquei lhe o olho
Fiz ele engolir
Não sei como consegui dormir
Sua lingua foi arrancada
Ossos quebrados um a um
Pisei-lhe o estomago
Suas tripas espalhadas pelo chão
Meu amigo ao lado rindo
Com o rancor de um assasino
Acordei aterrorizada na escuridão

Não sabia mais, se era bom ou mal
Senti uma sensação tão desigual
Torturei e matei meu muso
A sangue frio, que abuso
Não sei o que me deu
Pra matar em sonho
Um querido muso meu
Se bem que mereceu

Assassino

Uma noite, em meu sonho você me carregou nos braços
Me chamou de seu amor, me carregou pelo campo de flores

Em outra noite
Assassino! Desgraçado!
Eis aqui, um cruel bastardo
Caido no chão, esfolado
Queimado, quebrado, paralitico
Com suas tripas saindo pra fora
Rimos de você
Oh, meu muso
Jogado no chão
Ferido, caolho, humilhado
Numa noite dançamos embaixo de uma caichoeira
Na outra, descoberto seu segredo
Dançamos eu e um amigo
Sobre seu cadaver
Meu muso empestiado
Assassino desgraçado
No chão despedaçado
Ainda amo você

Mesmo sendo um assassino covarde
Que matou seu companheiro
Você ainda me inspira pra fazer poemas
Te esfaquearei mais um verso
Esconconderei seu corpo em meu banheiro